2006/01/07

"Novos talentos no infanto-juvenil"

"Alexandre Parafita

Alexandre Parafita é investigador de literatura oral, professor e autor de mais de 30 obras, sendo as mais recentes: "Chovia Ouro no Bosque" (Porto Editora), "Branca-Flor, o Príncipe e o Demónio" (Asa), "Histórias de Arte e Manhas" (Texto Editores), "O Conselheiro do Rei" (Impala), editado também em castelhano, e "Contos de Animais com Manhas de Gente" (Âmbar).
De 2005, retém como positivo "o despontar de alguns autores jovens, bastante promissores, seja ao nível da narração escrita, seja ao nível da ilustração, e que certamente garantirão a sobrevivência de uma literatura infanto-juvenil de qualidade no futuro".
O primeiro título escolhido foi "A Rosinha, o Mar e os Sonhos" (Gailivro) de Rosário Alçada Araújo (escrita) e Catarina França (ilustração), "pela sintonia estética que partilham". Na obra, "de enredo encantatório, atravessado pela aventura e pelo mistério do mar e dos tesouros, ecoam, inteligentemente, as reminiscências dos velhos contos de fadas, onde não falta o perfil de uma "Branca-Flor" reinventada em cada uma das personagens femininas da história".
Alexandre Parafita acrescenta ainda: "Para a criança que vive na fase de se apropriar de modelos, de distinguir de "motu proprio" as dicotomias essenciais com que a vida a confronta, tais como o bem e o mal, a fidelidade e a hipocrisia, a coragem e a cobardia, este livro é, sem dúvida, um amigo valioso. Valioso pela natureza das mensagens que segreda ao inconsciente do pequeno leitor."
Em conjunto, autora e ilustradora assinaram também "Somos Diferentes" (Impala) e "A História de Uma Pequena Estrela" (Gailivro).
Para um nível etário um pouco mais elevado, o autor destaca "Eldest" (2.º volume da Trilogia da Herança), de Christopher Paolini. "Todo o livro conduz a uma hábil e descomplexada incursão pelo mundo do fantástico, à semelhança do que vimos com as sagas de Harry Potter ou do Senhor dos Anéis. A particularidade de ser um autor muito jovem (19 anos) a dar vida e coerência a um enredo complexo, mas sedutor, onde abundam seres insólitos como dragões, elfos, anões, serpentes, espectros, feiticeiras e outros estereótipos do fantástico, torna este livro particularmente interessante para um público jovem. Um público facilmente atraído por narrativas onde impera a perspectiva mitológica do herói, envolvido num jogo permanente de intimidações, que vai superando em actos sucessivos de transgressão responsável."
Também para estas idades, Parafita escolhe "Fábulas de Bocage", de José Jorge Letria (texto da Introdução) e André Letria (ilustração), "uma edição com muita dignidade, que, ao mesmo tempo, comemora os 200 anos da morte do grande poeta setubalense". Destaca ainda esta obra "pelo muito que ela contribui para reerguer, aos olhos dos mais jovens, uma das mais belas facetas de um poeta que, no imaginário colectivo, ficou gravado pela sua vida boémia e errante. Nestes "versos com moral" de Bocage, cuidadosamente seleccionados e enquadrados por José Jorge Letria, e magnificamente ilustrados por André Letria, ecoa uma consciência crítica que não se esgotou no tempo e que, por vezes, foi trazida na voz de animais para melhor chegar aos humanos".


A Rosinha, o Mar e os Sonhos
Autor Rosário Alçada Araújo
Ilustrador Catarina França
Editor Gailivro
36 págs., 8,90 euros

Eldest
Autor Christopher Paolini
Tradutores Andrea Alves Silva e Vera Falcão Martins
Editor Gailivro
814 págs., 19,90 euros

Fábulas de Bocage
Autor da Introdução José Jorge Letria
Ilustrador André Letria
Editor Âmbar
42 págs., 17,85 euros


Marta Torrão

Marta Torrão é ilustradora e venceu o Prémio Nacional de Ilustração relativo a 2004 com o livro "Come a Sopa, Marta!" (Bichinho de Conto), atribuído por unanimidade pelo Instituto Português do Livro e das Bibliotecas e pela Associação Portuguesa para a Promoção do Livro Infantil e Juvenil. Normalmente usa técnica mista nos seus trabalhos (guache e colagens) e também ilustra para a imprensa, numa colaboração semanal com a revista "Notícias Magazine".
O primeiro livro que escolheu foi "O Quê Que Quem", do ilustrador Gémeo Luís e com textos de Eugénio Roda (Edições Eterogémeas). "Seleccionei este livro pela originalidade da técnica, corte no papel, mas também pelas magníficas ilustrações que dela resultaram. Ricas em pormenores poéticos, deixando por definir onde começam e onde acabam, criando imagens dentro de uma única imagem. Uma espécie de jogo onde com toda a atenção se descobrem elementos que vivem para lá do texto." É um livro bilingue (português e inglês), com o interessante subtítulo "Notas de rodapé e de corrimão".
A segunda obra seleccionada foi "A Máquina Infernal", do ilustrador e desta vez também autor Alain Corbel. "Alain associou a sua representação da realidade ao imaginário inocente de um menino, chamado Tim. O resultado são elementos verdadeiramente surpreendentes, como quando Tim percebe que a sua máquina infernal se pode transformar em algo bom e mágico aos olhos de uma outra criança, neste caso uma menina, e que o mesmo pode acontecer com as palavras."
Marta Torrão considera ainda que há "detalhes harmoniosos presentes em pequenas coisas, como o vestido da personagem, que remete para a renovação e nascimento. Uma bonita união entre a escrita e o desenho".
Por último, elege "Uma Estrela", ilustrado por Cristina Valadas e escrito por Manuel Alegre. "Escolhi este livro pela quase ausência de cores nas ilustrações, o que é bastante curioso, principalmente por ser uma obra que aborda o tema do Natal e por estarmos habituados aos livros cheios de cores. Neste caso é diferente e o facto de a ilustradora nos dar uma nova perspectiva do Natal ganha pela diferença, criando um universo de figuras simples, mas cheias de encanto."


O Quê Que Quem/ Notas de Rodapé e de Corrimão
Autor Eugénio Roda
Tradução para Inglês Ana Saldanha
Ilustrador Gémeo Luís
Editor Edições Eterogémeas
22 págs., 9 euros

A Máquina Infernal
Autor e ilustrador Alain Corbel
Editor Caminho
32 págs., 12,60 euros

Uma Estrela
Autor Manuel Alegre
Ilustrador Cristina Valadas
Editor Dom Quixote
28 págs., 13,30 euros"